Notícias

Prefeitos de Amambai e não tem Inocência, que deixaram o cargo no último domingo (1), destacaram trabalho conjunto com o parlamentar para realizar investimentos com recursos federais em suas gestões.
Recursos federais serão investidos em obras de saneamento básico, equipamentos para perfuração de poços em assentamentos rurais e projeto de educação ambiental para municípios de Mato Grosso do Sul.
Ministro da Educação, Mendonça Filho, assumiu compromisso com o senador Moka e o deputado Geraldo de liberar recursos para construção da unidade, cujo projeto está estimado em R$ 35 milhões.
Área da integração nacional, responsável por conduzir política de irrigação e realizar obras contra a seca, de infraestrutura hídrica e prevenção a desastres terá dotação de R$ 4,3 bilhões, além do valor das emendas propostas pelos parlamentares.
Senador sul-mato-grossense obteve 480 pontos no ranking, com destaque para a qualidade dos projetos apresentados, inexistência de processos judiciais e participação na vida pública do país.
Articulados pelo senador Moka, recursos serão investidos em Anastácio e Jateí, cujas obras estão estimadas em R$ 11,7 milhões, sendo R$ 2,3 milhões em forma de contrapartifa do Governo do Estado.
Prefeito eleito foi recebido em Brasília por senador e deputados para discutir investimento em obras e projetos a partir de janeiro, quando novo administrador assume com a missão de colocar ordem na cidade.
Propostas foram apresentadas pelo senador Moka e vão permitir investimento em grandes obras no Estado: construção do anel rodoviário de Três Lagoas, Ferroeste e ponte em Porto Murtinho, ligando Carmelo Peralta, no Paraguai.
Presidente Michel Temer disse que cuidar da primeira infância é zelar pelos homens e mulheres de amanhã. Já a primeira-dama, Marcela Temer, afirmou que o amparo à formação da criança é indispensável e marca o destino da pessoa.
Campo Grande News detalha trabalho feito pelo site www.politicos.org.br com base em informações e dados dos 513 deputados e 81 senadores, como participação em sessões, processos na justiça e qualidade administrativa.
Recursos internacionais serão liberados de forma parcelada em cinco anos, com prazo de pagamento de 25 anos e juros subsiados de 3,4% ao ano, cujo aval será dado pelo Governo federal.
Informação foi passada ao senador Waldemir Moka, em audiência na tarde desta quarta-feira, em Brasília, cuja verba deverá ser utilizada para execução de projetos em várias regiões de MS.
Acusada de cometer crimes fiscais e de editar decretos sem autorização do Congresso, presidente afastada pode perder o mandato no final deste mês.
Em pronunciamento, senador sul-mato-grossense defende o afastamento definitivo da presidente Dilma Rousseff e argumenta que o procedimento é legítimo, constitucionalmente perfeito.
Parlamentar também cobra investimento maior do Governo federal nas ações de vigilância sanitária em razão da importância do Brasil nas exportações mundiais de carnes e derivados.